My Pen, Português, Verse

ampulheta

Parece lenta por ser imensa a torrente que passa pela ampulheta. Devia entupir ou emitir sinal de alarme ao ver passar versos repetidos ou rimas pirosas. Ouve a areia, diz ela, não queres a tua âmbola cheia de poemas menores. Advertisements

Read more
Blurb, Português

10 albums / 1 post

A corrente pede 10 álbums que ainda apareçam nas nossas playlists – uma capa por dia, sem explicações, e com a nomeação da praxe. Vou saltar os artifícios e apresentar os 10 da minha vida (que deviam ser 20 para caberem mais), um pouco por ordem de importância:

Read more
Best Of, My Pen, Português

De Santos e Pastores

Foram anos de poemas declamados no colégio de freiras e de outros tantos a retalhar versos como se fossem só uma aglomeração de a-b-b-a e sinédoques – que identificamos com o mesmo entusiasmo de quem decora a lengalenga do teorema de Pitágoras. Até que um dia, depois todo este ruído, conheci o mestre Caeiro, e […]

Read more
Português

O Slogan Maldito

Deparei-me hoje com esta palermice de cartaz num tweet do irmaolucia e fui a correr confirmar. Era verdade, caros leitores: o CDS/PP de Almada (porquê especificamente o de Almada é uma boa questão, e uma à qual não sei responder) tinha um novíssimo cartaz para a sua campanha contra a eutanásia.: Digo “tinha” porque já […]

Read more
Best Of, My Pen, Português

A Página em Branco

O terror. Começar por onde, em que ponto? E se me engano…? E se aquilo com que preencher o espaço em branco for mau? Pior: e se for medíocre? Todo este potencial manchado. A infâmia…! Pelo menos é o que entendo dos infinitos relatos sobre o medo da página em branco. Não o sei descrever […]

Read more