Sena a Sophia

A impressão que cada vez mais tenho é a de que, de certa altura em diante, na vida, nós começamos a viver como o Rilke dizia que os anjos se sentiam: sem saber se estamos entre vivos ou entre mortos, porque as pessoas desaparecem, transformando-se em memória, e a gente vai ficando numa cada vez … Continue reading Sena a Sophia