china

Being in love was like China: you knew it was there, and no doubt it was very interesting, and some people went there, but I never would. I’d spend all my life without ever going to China, but it wouldn’t matter, because there was all the rest of the world to visit. Philip Pullman, The Amber Spyglass ilustr.: Peter Bailey

Read More →

um dia beijo-te

um dia beijo-te ao som do vermelho tinto que trazemos no sangue mesmo que não sintas fervilhar no teu os meus lábios dir-te-ão mais que as palavras e juras que carrego nas veias. um dia beijo-te ao chegar a coragem de dizer sem versos as rimas que sinto na minha pele ansiosa pela tua de poros e pêlos e fendas […]

Read More →

antigas e eternas crises de fé

Como o antepassado milenar, duvido por não ver. Há todo um sistema que fui descobrindo/criando/fixando para responder a comos e porquês. E que agora vacila. Porque uma ascensão – de acordo com os pilares – implicaria pôr os pés nas águas, na esperança de conseguir andar sobre elas. Aquilo que sinto ser verdade pede-me que seja temerária. Pior: livre. Dos […]

Read More →